Sessão Nostalgia: Mariah Carey, Daydream

Incrível como posts singelos no Facebook tem a proeza de se tornar posts especiais no blog.

Daydream, o melhor e injustiçado álbum de Mariah Carey lançado em outubro de 1995. Repito: injustiçado. Melhor voz, melhores músicas, melhores singles (apesar de achar que poderia ter tido outros mais), um álbum onde não se pula nenhuma música. A bela capa faz jus ao título do disco: sonhar acordado, devanear (em tradução livre).

Daydream (cinemascope

Impossível aceitar que um álbum #1 em 9 países, com singles #1’s que duraram 8 semanas, 16 semanas no topo da Billboard tenha sido esquecido dessa forma pela academia. Não foi a primeira vez que o Grammy shittou no pau. Seis indicações, nenhuma estatueta, apesar de todo o sucesso.

Daydream foi, de fato, o divisor de águas na carreira de Carey. Uma interessante transformação vocal e musical. Pela primeira vez, Mariah estava tomando as rédeas da produção, se sentindo cada vez mais apta para tomar certas decisões, doesse a quem fosse. A colaboração com Boyz II Men (em One Sweet Day) não veio fácil, o flerte com o hip hop e R&B foi altamente negado por Tommy Motolla, seu marido/empresário. “O que? Você enlouqueceu? Nada de quebrar a fórmula!” Mas no final, o sucesso veio e quem duvidou da decisão dela, ficou de cara no chão.

Fantasy, o primeiro single, produzido por Dave Hall, ficou 8 semanas em primeiro lugar na Billboard Hot 100. Com sample do hit “Genius of Love” de Tom Tom Club, uma de suas músicas preferidas, a música ganhou um remix com o rapper ODB, o que impulsionou ainda mais as vendas do single. One Sweet Day foi o segundo single do álbum e ficou 16 semanas no topo do Hot 100, recorde jamais quebrado até hoje. Mariah também fez um cover incrível de Open Arms da banda Journey, com vocais singelos e ao mesmo tempo, fortes. Não chegou ao topo, mas figurou no top 10.

Always Be My Baby, produzida por Jermaine Dupri, chegou ao primeiro lugar e é uma das preferidas dos fãs. É uma música que, a primeira ouvida, não se esquece jamais. É aquela que fica no repeat até cansar. Forever e Underneath The Stars foram os últimos singles do disco e, por mais que não tivessem atingido uma boa posição nos Estados Unidos, são especiais. O disco vendeu por volta de 25 milhões de cópias e figura na lista dos discos mais vendidos de todos os tempos.

Walter Affanasief, parceiro de longa data de Carey, produziu 7 faixas do disco, incluindo Underneath The Stars, Open Arms, I Am Free (uma bela balada gospel), Forever e Looking In, uma das músicas mais pessoais de Mariah, que expressava o que ela sentia em seu casamento, na sua vida pessoal naquele momento. Uma letra íntima, reveladora, que mostrava o quão evoluída e madura ela estava. Babyface produziu a ótima Melt Away e David Morales trabalhou no remix Daydream Interlude. Primor.

0101

———————-

Algumas verdades a serem ditas

Mariah Anos 90: Voz perfeita, mas infeliz. Presa pela gravadora e pelo marido/empresário. Tentava a todo custo ditar suas regras e mostrar sua independência no quesito parcerias, produção e etc. Conseguiu isso? Conseguiu. Mas era sempre vista pra baixo, porque infelizmente era mantida a rédea curta por Motolla. Seu casamento não foi exatamente o conto de fadas que pensou que seria.

Mariah Anos 00: Perda vocal (ainda dá conta do recado, mas a voz dos anos 90 já era). Feliz, casada, independente e com músicas mais ou menos (claro, tem seus momentos excelentes, mas não tem o brilho que os anos 90 tiveram).

———————-

Ela performou ONE SWEET DAY no Grammy, na noite em que achou que seria premiada de alguma forma:

 

Só lembrando que Alanis Morissette e sua bem sucedida estréia com Jagged Little Pill também teve seis indicações e levou quatro estatuetas. Mariah, que estava tão confiante, assim como a crítica em geral, pelo amadurecimento e um disco tão envolvente e pioneiro, infelizmente não levou nenhum. A propósito, eu nem listei as indicações que o Daydream levou. Segue abaixo:

  • Álbum do Ano
  • Melhor Álbum Vocal de Pop
  • Gravação do Ano (One Sweet Day)
  • Melhor Colaboração Pop com Vocais (One Sweet Day)
  • Melhor Performance Vocal Feminina Pop (Fantasy)
  • Melhor Performance Vocal Feminina de R&B (Always Be My Baby)

O acontecimento provavelmente contribuiu para mais uma acalorada discussão entre Motolla e Carey, cujo casamento se deteriorava cada vez mais, morrendo de vez em 1997, com o lançamento do disco Butterfly, onde Mariah larga de vez a imagem de boa moça e flerta ainda mais com o R&B e com o hip hop. Com indicações ao Grammy, Butterfly foi aclamadíssimo pela crítica e, ainda assim, não levou nenhuma estatueta. Contradição: sim ou com certeza?

O fato é que naquela época (1995-1996), ela era uma cantora que não tinha mais nada pra provar. Prêmios seriam um mero detalhe para a sua capacidade vocálica e influência na música pop. Afinal, os anos 90 foram de Mariah. Prêmio nenhum sobrepõe esse fato.

Anúncios

Sobre Felippe Alves

Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

7 Respostas para “Sessão Nostalgia: Mariah Carey, Daydream

  1. Entrei no google para pesquisar quais foram os indicados do Grammy do ano 1996 para saber quem levou o prêmio no lugar da Mariah e acabei encontrando essa sua crítica sobre o Daydream. Sou super fã da Mariah Carey e realmente não imaginava que Alanis Morissette tinha levado essa “bocada”. Concordo com tudo que você mencionou sobre álbum e também sobre a injustiça que ela sofreu.
    Abs.

    • Realmente, foi uma injustiça. O Grammy nem sempre é justo nas decisões. Vão pela modinha. Alanis tava bombando com o primeiro disco internacional, Jagged Little Pill, logo, ela foi escolhida como preferida e levou 4 dos 6 prêmios. No Grammy deste ano, Born This Way da GaGa, um disco tão interessante e bem melhor que o anterior dela, o The Fame, não levou NENHUM grammy. A Adele arrebentou com tudo e levou as 6 indicações com o 21. Eles dão preferência pra quem está em alta.

  2. Thiago Ferreira.

    Certamente foi a maior cantora dos anos 90. Lembro perfeitamente levantando cedo para ir a escola, SEMPRE tinha alguma música da Mariah tocando na rádio. Ao escutar hoje em dia bate uma certa nostalgia daquele tempo bom que ia com meu irmão a escola. Infelizmente ela não cuidou bem se seu intrumento vocal achando que se não se matasse de trabalhar voltaria ao gueto. Depois de provar ao mundo que não precisava de prêmios, conforme voce disse, o estrelismo tomou conta dela e a tornou “infalível”? Acho uma pena hoje em dia ela ser uma cantora mediana….

    Abraços

  3. L.

    Concordo inteiramente com o artigo. Daydream é o melhor álbum dela porém, foi muito injustiçado pelo Grammy. Amo a voz que ela tinha e que hoje ela não tem mais. Porém, a respeito pelas músicas que a mesma fez nos anos 90. Amo Daydream!

  4. L.

    Olá, novamente Felippe!

    Já que você fez um artigo falando da injustiça de Daydream, será que poderia falar também sobre outro disco injustiçado o álbum Emotions?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Felippe Alves


Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

What we´re gonna do right here is go back

março 2012
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Latest Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: