Dear Journal

 

Ok, eu sei que sofro de velhice precoce. Eu vejo pessoas da minha idade se preparando pra sair, indo em baladas todo santo final de semana e eu fico pensando: como elas são populares, bonitas, cheias de vida. Isso não é inveja, eu sairia se quisesse também. É que eu acho que eu seria melhor aceito pela sociedade se agisse igual a ela. Pode parecer que eu sou bem aceito por novos grupos, mas muitas vezes eu fico no vácuo, sabem? Aconteceu comigo ontem numa festa. Eu fiz um comentário meio nerd e uma pessoa se fez de surda. Eu sou tão repugnante assim?

Só pra constar, isso não é um post emocional. Eu tenho um círculo social muito bom, obrigado. É só uma teoria que eu tenho trabalhado por algum tempo. Não só o meu instinto como o de todo mundo diz que as pessoas têm que aceitar os outros como eles são: nerds, sem atrativos e, principalmente, sem uma beleza estonteante. Isso acontece de verdade?

O problema sou eu? Não, não sou eu. Não digo isso porque eu sou um convencido. Não, pelo contrário. Digo que eu tento ser legal. Se algumas pessoas não nos levam a sério, o que devemos fazer? As palavras nerd e descolado cabem na mesma frase?

Na verdade, eu tenho amigos de diferentes tribos urbanas e me dou bem com eles. Mas às vezes, eu fico me perguntando se eu me daria melhor com pessoas assim, err… como eu

* cri cri cri*

Na minha própria família ouço reclamações da forma que eu me visto. Isso é doentio. Eu amo blusas de linha, sério. Lisas, de listras, de formas geométricas, que seja. Ficam querendo me “descolar” – eu juro que tô morrendo de vontade de descolar certas pessoas de suas respectivas peles. “Ai, compra essa jaqueta”, “ai, compra aquela calça assim”… na boa? Eu me /lixo *emoticon* pra quem acha que eu me visto como um velho. Acharia bem mais válido que olhassem para si mesmos, para o próprio guarda-roupa. E eu repito: ainda vou pra Serra Negra comprar blusas de linha dos mais diferentes tipos, vão me deserdar?

Aí vai: não vou sair pra certos lugares, nem vestir como um drogado ou com o que “está na moda” e muito menos agir igual a um grupo só pra ser aceito nele. Estou satisfeito com quem eu sou e como sou: o Felippe Alves.

Sobre Felippe Alves

Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

3 Respostas para “Dear Journal

  1. Bruna

    Na minha opinião tds nós somos velhos nem que seja um pouquinho, quem pensa como mais velho age com consciência.. o que é essencial na vida de alguém !
    Adorei Fê . escreve mto bem !!
    bejs :*

  2. Obrigado, Messora. Mantenha contato. Um beijo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Felippe Alves


Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

What we´re gonna do right here is go back

julho 2010
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Latest Tweets

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

%d blogueiros gostam disto: