Todos os Homens do Presidente

 

 

Junte dois objetivos. 1º Ter por principal meta retratar sobre o escarcéu de Watergate ocorrido em Washington DC em 1972. 2º Dar uma aula certeira sobre Jornalismo Contemporâneo utilizando as teorias do Newsmaking (teoria que investiga mais detalhadamente a cultura de trabalho dos profissionais da mídia, dando mais importância ao processo de industrialização das informações fornecidas pela realidade, assim avaliando se a informação é ou não notícia) e Agenda-Setting (efeito social da mídia que compreende a seleção, disposição e incidência de notícias sobre os temas que o público falará e discutirá). Juntou? Então você terá o filme ganhador de 4 Oscars estrelado por Robert Redford (Proposta Indecente, 1993, e Jogo de Espiões, 2001) e Dustin Hofmann (A primeira noite de um homem, 1967, e Rain Man, 1988).

Em Todos os homens do presidente (All President’s Men, EUA, 1976), dirigido por Alan Pakula, é fielmente retratado o que realmente aconteceu no ano de 1972: o caso da espionagem política que fez com que o 37º presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, fosse obrigado a renunciar o posto. O edifício Watergate, pra ser mais específico no quartel-general eleitoral do Partido Democrata, foi invadido por ladrões com microfones, walkie-talkies e câmeras. As suspeitas de que o presidente Nixon estava mesmo envolvido nas escutas ilegais subiam cada vez mais. Cenário: Redação do jornal The Washington Post. Noites em claro, nomes riscados, portas sendo fechadas em suas caras: foi basicamente isso que os jornalistas investigativos Robert Woodward (Robert Redford) e Carl Bernstein (Dustin Hoffman) tiveram que passar na procura incessante por fontes que saibam quem realmente está envolvido no caso Watergate.

Não foi fácil pra eles acharem fontes realmente confiáveis durante o percurso, porem, a fonte mais significativa tenha sido o Deep Throat (Garganta Profunda), uma fonte que combinava um encontro numa garagem de prédio e ficava fazendo “joguinhos” dizendo sempre: “isso é você mesmo que tem que descobrir”, irritando Bob. Mas uma fonte crucial foi a bibliotecária da Casa Branca, Judy Hoback, que numa conversa demorada deu as iniciais dos supostos envolvidos no caso. O editor-chefe Ben Bradlee, antes de publicar a matéria, ainda tinha de ter certeza sobre citar o nome do segundo homem mais importante de Washington: H.R. Haldeman. Aí vem uma cena interessante: Carl pressionou a fonte no telefone, que por sua vez se recusou a falar alguma coisa sobre Haldeman. Disse que ia contar até dez. Se a fonte continuasse na linha até o final da contagem, estaria confirmado pra finalmente publicar a matéria com o consentimento do editor Ben Bradlee. Depois de publicada, a verdade divulgada pra quem quisesse ler, o presidente Nixon renunciou o cargo em 9 de agosto de 1974.

“Todos os homens do presidente” é um filme primordial em quaisquer cursos de comunicação. Um roteiro intrigante, atuações e direção dignas e claro: uma aula de Jornalismo Contemporâneo baseado num assunto que foi o marco na história dos Estados Unidos.

PS1: Teve 8 indicações ao Oscar, ganhando 4 estatuetas:

Melhor ator coadjuvante: Jason Robards (Editor Ben Bradlee)
Melhor roteiro adaptado: William Goldman
Melhor direção de arte: George Jenkins e George Gaines
Melhor som: Arthur Piantadosi, Les Fresholtz, Dick Alexander e Jim Webb.

PS2.: Não posso encerrar este texto sem uma informação importante: até 2005 a identidade do Garganta Profunda, o informante misterioso, foi um mistério. Até que em 2005, Mark Felt, vice-diretor do FBI, na época com 91 anos, assumiu ser o responsável pelas informações no caso Watergate. Felt morreu em 2008 aos 94 anos.


TRAILER

 

Anúncios

Sobre Felippe Alves

Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

Uma resposta para “Todos os Homens do Presidente

  1. E X C E L E N T E !!! V. ESTÁ CADA DIA MELHOR !!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Felippe Alves


Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

What we´re gonna do right here is go back

março 2010
S T Q Q S S D
« fev   abr »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Latest Tweets

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

%d blogueiros gostam disto: