Tempos Modernos


Bem, estive revendo meus trabalhos do semestre passado e achei a resenha crítica que eu fiz do filme Tempos Modernos, do Charles Chaplin. Dae resolvi postar aqui. Pra quem não conhece, é um excelente filme e vale a pena assistir.

Modern Times


Charles Chaplin foi um ator, diretor, roteirista e músico nascido em Walworth, Londres. Foi responsável por grandes obras-primas do cinema mudo como Tempos Modernos, lançado em 1936, que será retratada a seguir. 
 O que vemos no início do longa é a ridicularização dos trabalhadores na indústria na década de 30, sendo comparados a um bando de ovelhas. Chaplin não deixou de mostrar o homem em seu interior, cheio de expectativas e planos, porém tudo isso foi ofuscado. Tempos Modernos retrata com maestria uma época de tirania, de preconceito, de abuso de uma sociedade capitalista e dominadora e ao mesmo tempo com uma linguagem inocente e sem apelações como sexo e violência. Chaplin, de uma maneira bem peculiar, quer deixar claro uma mensagem social. Ele reinvidica as grandes mudanças que a industrialização causou às grandes massas como a falta de empregos e a marginalização, e principalmente mostrou como os grandes chefes de metalúrgicas tratavam seus funcionários que quase não tinham hora de almoço, nem de descanso. Sem falar no quesito segurança, que não era algo devidamente respeitado naquela época.
 Chaplin é um operário que não tem seus direitos respeitados em uma empresa onde é tratado como um escravo. Com o trabalho repetitivo de apertar parafusos em uma esteira, ele acaba “surtando” e sai da empresa. Assim que sai na rua, vê uma multidão de pessoas envolvidas em um motim. Chaplin logo se mistura a elas, sendo confundido com o líder de motim. Acaba preso e passa por poucas e boas na cadeia. Quando finalmente é libertado, percebe que sem emprego a vida é difícil. Acaba conhecendo uma menina de rua. Quando a vê roubando um pão, quer assumir a culpa para ir preso novamente, mas logo é dedurado por uma pedestre. Ele se apaixona pela menina de rua e ambos se aventuram sem emprego e sem nada a procura de uma vida melhor e decente.
 Por ser um filme preto e branco e mudo, a música é imprescindível, pois ela demonstra intensidade a cada cena de ação. O resultado sonoro que Carlitos deu ao filme é incrível. Importante lembrar também que nas cenas “ambíguas”, o texto é essencial para não confundir o leitor a pensar algo que não se encaixa. O filme não chega a exibir o amor de forma passional, carnal. O amor que Chaplin sente pela menina de rua se mostra fraternal, mesmo que o filme dê a entender que seja o contrário. Chaplin sendo confundido com líder de motim, colocando cocaína na comida pensando que é sal, esquecendo a letra da música que cantará no novo emprego que arranja, são algumas das peripécias deste fascinante personagem.
 Tempos Modernos é um filme ideal para ser exibido em qualquer escola e/ou universidade porque mostra como era a indústria naquela época, e principalmente para discutir as mudanças oportunas nos dias atuais. Perfeito para falar da indústria e suas transições. 


Sobre Felippe Alves

Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Felippe Alves


Jornalista, 20 e poucos anos, amante assíduo da arte e da música. Dono do próprio blog. Sem sucesso pra trabalhar na área. Tenho células suicidas (elas não me suportam e colocam substitutas no lugar). Não sei o que é real ou o que é fantasioso. E definitivamente não sei lidar com MUITAS coisas.

What we´re gonna do right here is go back

setembro 2008
S T Q Q S S D
« ago   out »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Latest Tweets

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

%d blogueiros gostam disto: